JOÃO LOURENÇO E O POPULISMO NO CAMBATE A CORRUPÇÃO

João Lourenço e o populismo no combate a “corrupção” – Albano Pedro


Não há dúvidas que estamos todos maravilhados com o combate contra a “corrupção” e que todo o apoio deve ser prestado para que o combate tenha sucesso. Mas não acredito que JLO tenha escolhido a melhor estratégia de combate quando entra no jogo das detenções e prisões preventivas ou domiciliares que tarde ou cedo devem acabar em prisões efetivas.

Nessa linha, se desiste, perde credibilidade e arrisca a matar o programa de combate a corrupção. Se vai a fundo, agindo com a necessária imparcialidade, mais de metade dos angolanos, ligados ao funcionalismo público e respectivos membros das famílias é arrastada junto e nisso, tenho dúvidas que o bureau político do MPLA tenha um membro fora da prisão.

Cada prisão de um gestor público vai implicar uma infinidade de pacatos cidadãos (membros da família, empregados domésticos, trabalhadores de empresas pessoais, amigos, vizinhos, amantes ou namoradas e conhecidos que tenham beneficiado de ofertas e pagamentos de dinheiros ilícitos) trazendo uma cadeia de criminosos a todos os níveis.

Pior que tudo, a economia é abalada com isso. Muitas empresas fecham e os atrasos salariais serão endêmicos. Clubes desportivos e até musicais deixam de existir. Afinal, como disse alguém, a corrupção em Angola é do tipo Nepotista (por entrar nas famílias a partir dos gestores públicos).

Isso faz lembrar o processo 105 (julgado em 1985) que arrastou para prisão preventiva a maior parte dos ricos daquele tempo por alegado crime de tráfico ilícito de diamantes. Até hoje, foi a mais complexa operação de combate aos crimes económicos de que tenho consciência. Na altura, os 105 eram os cidadãos mais ricos que o país tinha. Eram proprietários de inúmeros edifícios, fábricas, cadeias de hotéis, lojas e armazéns, fazendas, etc.

Tinham patrimônios avultados em Angola, Portugal (Europa de uma maneira geral), etc. Em suma, eram mesmo ricos ( e não simples milionários como vemos hoje). A riqueza vinha da era colonial, dos anos 60, altura em que Angola estava entre as maiores e mais prósperas economias do mundo, com um parque industrial significativo e níveis altos de exportação em produtos diversos, incluindo produtos acabados.

Essa nata de ricos e poderosos (sem semelhantes nos dias de hoje) foi acusada de estar a sabotar a economia nacional. É claro que movimentavam a economia dos minerais e de tudo o mais dinamizando a própria economia nacional. Quando começou o julgamento, chegou-se a conclusão que o tráfico ilícito de diamantes envolvia também figuras de proa do próprio partido e por isso mandou-se arquivar o caso e soltar os réus, sendo mandados em paz. Nos momentos seguintes, a maioria dessas famílias de ricos abandonou o país deixando para trás um rico patrimônio que foi basicamente confiscado e espoliado pelo Estado.

O que aconteceu 3 anos depois é que a economia angolana entrou em falência. O Governo foi obrigado a lançar o SEF (Programa de Saneamento Econômico e Financeiro) sem qualquer sucesso diante da repentina onda de inflacção galopante numa economia petrodependente e com uma indústria reduzida a zero. Os governantes estavam longe de imaginar que o desaparecimento de Angola daquela nata de ricos terá influenciado a queda brusca da economia nacional juntamente com a quimérica via do socialismo que deitou por terra a iniciativa privada.

Hoje, JLO está a avançar para o mesmo sentido do processo 105 com todos os riscos de vir a ser obrigado a mandar arquivar processos (influenciando o poder judiciário) ou a promover um indulto generalizado para todos os que foram detidos. Já que poderão constar da lista dos autores e beneficiários do peculato famílias nobres que fazem parte da actual elite no poder político. Contudo, se recua tem problemas. Se avança também tem problemas. Logo, JLO pode estar num beco sem saída devido as medidas populistas que assombra o combate a corrupção.

Faltou uma visão estratégica nesse combate que deu espaço a iniciativas eleitoralistas com tudo para custar caro ao mandato de JLO. Ainda vai a tempo de corrigir…?






Por : Albano Pedro
HOJE PENSEI NO ( MANUEL RUI MOITA ) DETIDO COM AUGUSTO TOMÁS

ATÉ VOCÊ ( AWILO ) RUI MOITA ?

HOJE PENSEI NO ( MANUEL RUI MOITA ) DETIDO COM AUGUSTO TOMÁS

Na foto é o sem cabelo

JÁ ERA GATUNO OU FOI AUGUSTO TOMÁS QUE O TRANSFORMOU EM GATUNO ?

Pensei nele o que é normal , pois quando a saudade bate as imagens das pessoas com quem já alguma privamos são sempre as primeira que se desfilam na nossa memória como é o caso dele.

Conheci -o cá na Alemanha em Berlin quando bolseiro e não foram poucas as vezes que estivemos juntos em algumas festas particulares de angolanos da minha relação constituída grande parte por estudantes..

Numa altura em que nenhum deles imaginava nem lhes passava pela cabeça que eu fosse um grande critico pela forma criminosa como Angola estava sob gestão do JES/MPLA , ate porque nesta altura assinava com outro nome e nunca punha a minha própria foto nos meus textos.

Foi uma altura em que ate consegui penetrar com maior facilidade dentro do circuito as vezes tão fechado e meandros para explorar da melhor maneiras todas oportunidades que tive para conhecer certos esquemas ligações e movimentações as vezes ate estonteantes.

O Rui Moita como era conhecido aqui , pelo que pude me aperceber era uma pessoa de boa educação , humilde e sempre que nos cruzávamos nunca faltava um abraço muito forte e já o recebi uma ou outra vez em minha casa.

Ele nunca me tinha falado nada sobre isto , mais eu já tinha informações na altura das suas ligações com o antigo ministro dos transportes o Brandão , curiosamente um tipo que tinha estado connosco preso no campo do Tari de quem sempre se desconfiou que fosse um bufo entre nós.

JÁ ERA GATUNO OU FOI AUGUSTO TOMÁS QUE O TRANSFORMOU EM GATUNO ?

Com se sabe há pessoas boas e más , o Rui Moitas foi sempre por mim estampado como uma pessoa boa , ao contrário do Augusto Tomas que embora não o conhecendo pessoalmente jamais o consideraria de boa pessoa.

Se considerando que boa pessoa é aquela que te ensina á pescar o teu próprio peixe e não é aquela que não te ensina para dependeres sempre e apenas do peixe que ele te dá , e como conheço alguns casos em que esteve envolvido para mim foi mesmo um dos grandes gatunos que Angola teve.

Há pessoas que nascem já más ou seja com tendência para praticar o mal o que não me parece ter sido o caso do Rui Moita de quem ainda tive algum tempo para estudar um pouco da sua personalidade e carácter.

Rui Moita saiu daqui como alguém que saiu de um país habituado ás boas maneiras e teve que enfrentar logo o grande contraste e diferença como da água ao vinho entre os dois países .

E logo com o decreto no ar , de que quem não alinha ( acaba alinhavado ) num país onde não se sabe ainda ao certo quantos foram eliminados por não alinharem em certos roubos , quando não para se eliminar rastos , claro como poderia ele resistir no meio daquela badidagem toda já calejada ?

Não estou aqui a querer defender o Rui Moita , essa é apenas a minha opinião , pois continuo admirado como terá o Rui Moita dado em criminoso , porque não abandonou aquele curral de porcos onde não havia outra alternativa senão comer do mesmo farelo ?

Quando ele ja estava misturado com a gatunagem ainda apareceu por cá umas poucas vezes em tratamento e visita privada sem nunca uma única vez me ter contactado , o que nunca me aqueceu nem arrefeceu ate porque ja sabia que ele tinha os dias contados.

Rui Moita foi transformado ou acabou por se transformar ele mesmo numa pessoa má , simplesmente , porque não queria ficar atrás num rolo de bandidos / gatunos corruptos onde tudo só rolava á volta do dinheiro , complexo de superioridade e poder.

Importa dizer que, ainda assim , já mobilizei alguns amigos para lhe levarem kitaba , farinha , macroeira e um pouco de areia do Bungo para ir esfregando nas costas que faz bem a hipertensão de que padece.

Fórum Livre Opinião & Justiça

Fernando Vumby
EXECUTIVO EXTINGUE PLATAFORMA ECUMÉNICA

Executivo extingue plataformas ecuménicas


O Executivo angolano extinguiu as plataformas ecuménicas no país, numa medida que visa normalizar o exercício da liberdade da religião, crença e culto previsto na Constituição da República.

Tal determinação vem expressa no Decreto Executivo Conjunto 01/2018, dos Ministérios do Interior, da Administração do Território e Reforma do Estado, da Justiça e Direitos Humanos e da Cultura, que revoga a circular Nº 228/15, de 25 de Junho, do ministro da Justiça, sobre as plataformas ecuménicas.

Para organizar o exercício religioso haviam sido criadas seis plataformas ecuménicas, nomeadamente o Conselho de Reavivamento em Angola (CIRA), União das Igrejas do Espírito Santo (UIESA), o Fórum Cristão Angolano (FCA), a Aliança das Igrejas Africanas (AIA), a Igreja de Coligação Cristã (ICCA) e a Convenção Nacional de Igrejas Cristãs em Angola (CONICA).

De acordo com o documento a que a Angop teve acesso, as confissões religiosas cujos processos tenham resultado de desmembramento, cisão e que exerçam actividade religiosa que não atente contra a Lei e os bons costumes, devem, no prazo de 30 dias, suprimir as inconformidades, ao abrigo da Lei n.º 2/04, de 31 de Maio.

A referida Lei é relativa ao exercício da liberdade de consciência, de culto e de religião e do Decreto-Lei n.º 16-A/95, de 15 de Novembro, sobre as Normas do Procedimento e da Actividade Administrativa.

Na sua génese, as plataformas ecuménicas foram criadas para congregar e ajudar no processo de reconhecimento das igrejas que actuavam à margem da lei, por um determinado período, que já se esgotou.

No documento lê-se ainda que as confissões religiosas não reconhecidas, que possuam requisitos mínimos para o seu reconhecimento, devem remeter ao Instituto Nacional para os Assuntos Religiosos do Ministério da Cultura elementos instrutórios e sobre a sua situação organizativa e de funcionamento, apresentando, entre outros, uma comissão instaladora no prazo de 30 dias.

Em relação as confissões religiosas reconhecidas devem actuar nos marcos da Lei e dos bons costumes e abster-se de realizar propaganda enganosa nos cultos, práticas e actos que atentam contra os direitos económicos, sociais e culturais dos cidadãos.

Segundo dados estatísticos oficiais apontam para quase mil e 220 confissões religiosas não reconhecidas.

Em termos de reconhecimento, existem 81 igrejas reconhecidas no país.





Angop
PRÉMIO NOBEL DA PAZ É AFRICANO

Prémio Nobel da Paz é Africano.

Denis Mukwege é um médico ginecologista de 63 anos que há décadas ajuda mulheres vítimas de violação na República Democrática do Congo.

Em 1999 fundou o Hospital de Panzi na República Democrática do Congo onde, desde então, operou dezenas de milhares de mulheres que precisavam de cirurgias reconstrutivas depois de terem sido violadas durante a guerra civil que arrasou o país durante anos.

O Prémio foi atribuído em parceria com a activista Nadia Murad uma yazidi de 25 anos que foi capturada em 2014 pelo grupo extremista Daesh no Iraque e tornada escrava sexual.
11 Outubro 2018
Sublinhei o BAJULISMO. O BAJULADOR é o pior inimigo do desenvolvimento de qualquer sociedade, ele faz todo tipo de idiotice só para agradar o chefe... por sua incompetência até é capaz de criar i [...]
11 Outubro 2018
João Paulo Ganga arrisca-se a passar por charlatão

Fonte: Correio Angolense

O sociólogo João Paulo Ganga ainda não veio a público defender-se das graves acusaçõe [...]
10 Outubro 2018
Benguela: Doença condiciona interrogatório da ex. directora do INADEC


Jornal o País

A antiga directora provincial do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor [...]
10 Outubro 2018
Mais importantes do que todas as nossas opiniões são sempre os factos, que por essa razão vêm sempre (têm de vir/é imperativo que venham) em primeiro lugar para possibilitar que o debate se faç [...]
10 Outubro 2018
ESTAMOS A SOFRER SOFRÊNCIA POR CULPA DOS GATUNOS DO MPLA

É preciso termos juizo e total conhecimento no que o presidente João Gonçalves Manuel Lourenço está ir fazer lá fora.
8 Outubro 2018
A Missão de Negociação do Programa de Financiamento Alargado (EFF) do Fundo Monetário Internacional(FMI) , manteve esta tarde um encontro com representantes de Partidos Políticos com assento parl [...]
8 Outubro 2018
Isaías Samakuva aguardado na Jamba trinta anos depois


O Presidente da UNITA deixou, às 10h40 minutos deste sábado, 6 de Outubro de 2018, a cidade de Menongue, com destino à [...]
I am sorry!
7 Outubro 2018
Por : Mário Rui Cruz : O FMI já está na posição
2 Outubro 2018
Só agora com a onda de detenções preventivas é que algumas pessoas devem ter percebido
29 Setembro 2018
JURA Nova dinámica para vitória
23 Setembro 2018
Pedro Mutindi o proximo gatuno a ser preso ?
22 Setembro 2018
Puro Veneno Tudo em prejuízo da mudança
21 Setembro 2018
Cássia Clemente : Sobre o Café Del Mar
21 Setembro 2018
João Baptista Kussumua a única coisa boa que fez tornou o Huambo uma cidade limpa
21 Setembro 2018
H046qQlRbfY
sB-_Y76zlh0
7 Outubro 2018
A China-Sonangol e Sonangol-Sinopec International, foram constituídos com fundos da estatal Sonangol cujo facturamento actual, recai nas contas privadas dos seus constituintes, a Sonangol não se ben [...]
7 Outubro 2018
Nelo De Carvalho partilhou uma publicação.


PORQUE RUI CONSTANTINO DA CRUZ FERREIRA QUER SOLTAR ZENU!?

Por que o Juiz corrupto Rui Constantino da Cruz Ferreira q [...]
7 Outubro 2018
"CRISTIANO RONALDO ADORADO POR ELAS"





'ELE FOI ADORÁVEL' A acusadora de estupro em Londres, por Cristiano Ronaldo, ficou "feliz e empolgada" depois do se [...]
7 Outubro 2018
Autor desconhecido
ANÁLISE DE CONSCIÊNCIA, TEMPO ESTÁ PASSAR.

Na africa do sul e na russia houve roubos ao estado e algumas coisas piores.

O presidente Mandela [...]
6 Outubro 2018
LUKAPA: POLICIA MATA CIDADÃO NACIONAL LUNDA TCHOKWE NA SEQUÊNCIA DA RECOLHA DE ESTRANGEIROS ILEGAIS

Lukapa, 05/10 – A Localidade de Lukapa tornou-se num palco de violência entre a [...]
6 Outubro 2018
M.U.N NUNCA FOI UM JOGO POLÍTICO E NUNCA SERÁ

O Movimento de união nacional (www.munangola.com), é uma organização política revolucionária que regrupa os Angolanos de todos os c [...]
5 Outubro 2018
Angola vive uma fase “nunca antes vista” com “maior liberdade crítica” – PNUD

O representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Angol [...]