Francisco Rasgado: o perfil de um jornalista chantagista
6 Outubro 2017
      
Francisco de Boavida Rasgado, mais conhecido por Babalada, é um jornalista angolano dos mais destacados em actos de chantagens e extorsão. Director do jornal ChellaPress, tem a fama de ser um desavergonhado, quando o assunto é chantagear e extorquir os governantes e não só. É, através desta pratica, que conseguiu construir a sua Mansão, situada na Baia Azul, a sul de Benguela. No domingo passado, de visita a linda cidade das Acácias, fui à famosa praia da Baia Azul e vi de perto o enorme casarão que foi construído com dinheiro da chantagem.

Por: Jonas Roberto

A sua lista de vítimas é incalculável. Ele próprio, com certeza, não saberá dizer quantas pessoas já chantageou e extorquiu. Entre sucessos e insucessos, diga-se, em abono da verdade, que na maioria das vezes sempre conseguiu o quis.

Como dissemos acima, a lista é incalculável, mas vamos enumerar algumas figuras vitimas da chantagem e extorsão de Francisco Babalada.

1. A vitima preferida responde pelo nome de Fernando Vidinha, um empresário português do sector da construção, residente Benguela/Angola, há vários anos. Para satisfazer os caprichos do suposto jornalista, o coproprietário da 'Benguela Construções', chegou a ser ameaçado de ver publicada as fotografias intimas da sua esposa, nas paginas do jornal ChellaPress, que, na verdade, é mais um pasquim do que um jornal propriamente dito. A ''Mansão Maria Máxima Boavida'' foi erguida em grande parte através das chantagens feitas a Fernando Vidinha.

2. A seguir está o ex-diretor provincial do Ordenamento do Território, Habitação, Urbanismo e Ambiente, Zacarias Camwenho. Para escapar de ver o seu nome estampado no ChellaPress, Camwenho mantém uma relação amigável de falsidade com o suposto jornalista. Regra geral, é Zacarias Camwenho quem banca as contas correntes de Francisco Babalada. Babalada, foi-lhe até atribuído uma vivenda no condómino Centeco, nos arredores do aeroporto 17 de Setembro, município de Benguela, por Camwenho, para evitar ver o seu nome estampado no ChellaPress.

3. Amaro Ricardo, ex-administrador do Lobito, foi várias vezes vítima de Francisco Rasgado. Algumas vezes cedeu e nos últimos meses do seu 'mandato' deixou de satisfazer às chantagens. Babalada queria a todo custo um terreno no ponto final da restinga do Lobito.

4. Leopoldo Muhongo, administrador de Benguela, é a outra vitima da extorsão. Nas paginas do jornal ChellaPress, podia-se, por exemplo, ler-se hoje que era o pior administrador da província, e no dia seguinte, ser o melhor administrador. Além de quase sempre pagar uma ''nota preta'', atribuiu vários terrenos para acalmar a chantagem de Francisco Rasgado. Por outro lado, diga-se, em abano da verdade, que a fortuna de Leopoldo Muhongo foi feita de dia para noite. Nos próximos dias, vamos falar de como o ele conseguiu, em apenas cinco anos, ser um dos homens mais ricos de Benguela.

5. O aparente intocável Isaac dos Anjos, ex-governador de Benguela, caiu igualmente nas malhas. Vendo-se constantemente nas paginas do Chella, Isaac dos Anjos sentiu-se obrigado a celebrar um contracto milionário com Babalada, no sentido de este 'maquiar' a sua imagem de governador e deixar de ser referenciado no ChellaPress, pelos piores motivos. Um casamento celebrado na falsidade que nos últimos revelou-se fraco, que rendeu um divorcio com direito a lavagem de rouba suja na praça pública. Nos últimos dias antes da exoneração de Isaac, Babalada liderou uma guerra palaciana contra do ex governador, pelo facto de ter fechado cordões à bolsa para sustentar os apetites do “Homem da boina”.

6. Henrique Calengue, PCA da empresa de Aguas do Lobito, é a outra vítima de Rasgado. Patrocinou vários eventos promovidos por Francisco Rasgado na sua ''Mansão Maria Máxima Boavida'' e ao tempo em que era o vice-governador daquela província, já facilitou na adjudicação de empreitada a uma empresa onde o 'homem da boina' tem interesses.

7. O conhecido empresário Adérito Areias é tratado que nem um ''boneco''. Várias vezes destratado da pior forma nas paginas do ChellaPress, volta e meia anda em abraços com Francisco Rasgado. Todos em Benguela sabem que Babalada, não é amigo nem dele próprio. Adérito Areias, sabe que Babalada não gosta de sal, mas sim, de gasosa. E é isso que Areias tem feito sempre que o director do ChellaPress diz ter sede...

8. Dumilde Rangel, antigo governador da província, é outra figura que não escapou das artimanhas Rasgado. Algumas vezes, o ex-governador tentava mostrar um braço de ferro, mas depois acabava sempre por ceder a chantagem do jornalista, que, na verdade, são parentes.

9. A falta de escrúpulo e de ética por parte desse pseudojornalista, chegou, ao ponto de, numa das edições do seu jornal, ter colocado na primeira pagina, o nome da sua cunha Manuela Vaz Morais dando conta que esta pretendia matar a irmã, Ruth Vaz Morais e a prima Rosário Vaz Borrego, esta ultima esposa de Babalada, por causa de uma briga no controlo da herança da família da esposa. Tudo porque a sua esposa é uma das beneficiarias do esbulho de um terreno no centro da cidade de Benguela, que fica ao lado do restaurante Escondidinho.

Ainda falta mais gente para enumerarmos. Por enquanto, ficamos por aqui. No entanto, a questão que se coloca é: quem será a próxima vítima de Rasgado? Quem, nesses dias, estará a ser chantageado pelo 'homem da boina'? Desde a nomeação de Rui Falcão, tudo indica que nenhum dirigente esteja a ser chateado, pelo menos, publicamente através das paginas do seu defunto jornal, que agora confinasse a um blogue e uma pagina no Facebook.

Contudo, se tomarmos conhecimento de qualquer informação que aponte nesse sentido, ou seja, que esteja a chantagear um dirigente e não só, teremos todo gosto em denunciar o 'homem da boina', o decano dos chantagistas do País. Não podemos permitir mais mercenários no jornalismo angolano.

Até breve!


Angola-Connection.net