Ex-Presidente de Cabo Verde é candidato a Personalidade Africana do Ano
17 Dezembro 2017
      
Ex-Presidente de Cabo Verde é candidato a Personalidade Africana do Ano
4 nov 2011 17:03
SAPO Notícias


O Ex-Presidente da República de Cabo Verde, Pedro Pires, é candidato a Personalidade do Ano, galardão atribuído pela revista Forbes. Este prémio visa distinguir "o indivíduo que, para o melhor e para o pior, tenha tido maior influência sobre os acontecimentos" em África em 2011.

Pedro Pires concorre com outros quatro nomes de peso no continente africano, entre eles, Ellen Johnson Sirleaf, a Presidente da Libéria e uma das vencedoras do Prémio Nóbel da Paz 2011. Sirleaf foi a primeira mulher eleita chefe de estado de um país africano.

O empresário Aliko Dangote da Nigéria também está entre os nomeados. Dangote, Presidente do Grupo Dangote, tem negócios na Nigéria, Gana, Benin e Togo, é a pessoa mais rica do continente africano, com uma fortuna extimada em 13.8 bilhões de dólares, segundo a revista Forbes.

O Governador do Banco Central da Nigéria, Sanusi Lamido Sanusi é outro dos concorrentes. A sua carreira no sector bancário em África já lhe valeu dois prémios prestigiantes, atribuídos pelo The Banker, uma revista do jornal Financial Times e outro pela revista Times: Governador do Banco Central do Ano e Governador do Banco Central para África Sub-sahriana. Sanusi também está na lista da Times das 100 pessoas mais influentes de 2011.

Wangari Muta Maathai, que morreu em Setembro vítima de cancro, é a segunda presença feminina na lista. Foi a primeira mulher africana a vencer o Prémio Nobel da Paz em 2004 pela sua actividade política em prol do meio ambiente. Ficou conhecida no mundo pela sua luta de conservação das florestas e do meio ambiente. Ainda na década de 1970, fundou o movimento do Cinturão Verde Pan-africano (Pan-African Green Belt Network), no Quénia, uma iniciativa que plantou 30 milhões de árvores.

Pedro Pires já tinha vencido este ano o prestigiante Prémio Mo Ibrahim no valor de cinco milhões de dólares, título que reconhece e premeia a excelência na liderança africana. O prémio Ibrahim, o maior atribuído anulamente em todo o mundo, é concedido a um ex-Chefe de Estado de um governo africano eleito democraticamente, que tenha cumprido o seu mandato constitucionalmente definido e cessado funções nos últimos três anos.


Angola-Connection.net