Caso de roubo e burla na mesa da PGR à onze(11) anos sem fim a vista
9 Janeiro 2018
      
Mais de duas mil pessoas foram burladas cerca de 400 milhões de dólares pela empresa Build Angola.

A Build Angola começou a vender as alegadas casas em 2008, o que muitos consideram como ilusões em meio a uma crise de produtos imobiliários no mercado nacional. A publicidade enganosa (qualidade e preço) atraiu muitas pessoas que gastaram o pouco que tinham nestes projectos num sonho da *casa própria*.

Na altura a Build Angola tinha sete projectos imobiliários, anunciava de forma magnífica a construção do Projecto *The One*. Este morreu no papel, ou seja, ficou só na propaganda barata.
Diziam que o projecto seria entregue em 2009 mas até hoje nem um tijolo foi posto para a sua construção.

*Copacabana*, outra mentira, projecto que prometeram ser “pronto a entrar”, mas que na realidade não passava de mais um golpe dos donos da Build Angola, então foi cancelado mesmo depois de receberem milhões de dólares dos seus clientes que ansiavam por uma só residência num destes projetos.

*Quintas do Rio Bengo* construiu-se apenas casas modelo e nada mais do que esses modelos.
A propaganda era forte, porém, não passou de uma ilusão (sonhos).
Na mesma senda, a Build Angola prometeu construir 300 residências do tipo T3, T4 e T5 entre os 290 mil e 1 milhão de dólares.

Por exemplo, o projeto *Bem Morar* haviam prometido fazer as entregas das casas em 2011 mas nem sequer tinham construído tais residências quando só já faltavam cinco meses para a data prometida.

Para baralhar ainda mais, construíram simplesmente dois prédios e mais 300 casas inacabadas.
O preço destas estavam entre os 150 e 400 mil dólares.
*Projecto Nosso Lar* também morreu na praia. O Lar que não foi nosso ficou pela construção do stand de vendas e duas casas modelo.
Prometeram também construir casas T3 e T5 de 119 mil dólares.

A Build Angola prometeu construir sete falsos projectos.
Onde seus sócios maioritariamente de origem Brasileira e Angolana haviam prometido 540 casas as duas mil pessoas que foram retiradas dos seus bolsos um valor churudo de 400 milhões de dólares, valor do adiantamento.

Até ao momento os responsáveis da empresa Build Angola en­contram-se em paradeiro de incertezas passados onze anos.




Por Rapoza Negra


Angola-Connection.net