Ian Khama deixa a Presidência do Botsuana
2 Abril 2018
      
Ian Khama deixa a Presidência do Botsuana

Presidente transfere o cargo ao vice após completar dois mandatos de cinco anos no poder, como prevê a Constituição. Mokgweetsi Masisi terá como principal desafio reduzir a dependência económica do diamante no país.


O Presidente do Botsuana, Ian Khama, deixou o cargo este sábado (31.03) após dez anos no poder, transferindo a chefia do Governo para o vice, Mokgweetsi Masisi.

Ian Khama, que completou dois mandatos de cinco anos como permitido pela Constituição, deixa a Presidência do país 18 meses antes das próximas eleições.

Desde dezembro do ano passado, Khama visitou todas as 57 circunscrições do Botsuana num longo adeus à população de 2 milhões de habitantes. A administração do ex-presidente foi marcada por críticas abertas contra o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e contra o ex-presidente do Zimbabué Robert Mugabe.

O vice Mokgweetsi Masisi ficará no poder até as próximas eleições presidenciais, em 2019. A principal tarefa do presidente interino será diminuir a dependência da economia do Botsuana do diamante. "Não estou certo sobre a competência dele no campo económico, mas se ele tiver o respeito dos ministros deverá ser capaz de fazê-lo", observa o analista político Ndulamo Anthony Morima.

Masisi é professor e trabalhou com políticas de educação para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) por oito anos. Entre 2011 e 2014, serviu como ministro de Assuntos Públicos e depois como ministro da Educação. Em 2017, foi nomeado como vice-presidente do Botsuana.

Ao assumir o novo cargo, Masisi torna-se o terceiro presidente do país a não integrar a família Khama, que domina a política do país desde a independência do Reino Unido, em 1966.

Família Khama

O agora ex-presidente Ian Khama é filho do primeiro presidente do Botsuana, Seretse Khama, e também assumiu a Presidência do país no lugar de Festus Mogae, em 2008, um ano antes das eleições presidenciais.

Com a saída de Ian Khama, seu irmão mais novo, Tshekedi Khama, que é ministro do Turismo, será o único membro da família a ocupar altos cargos no Governo do Botsuana.

O pequeno Estado da África Austral, uma das democracias mais estáveis do continente africano, é governada desde a independência, em 1966, pelo Partido Democrático do Botsuana (BDP, na sigla inglesa). A expectativa é que o partido nomeie Masisi como candidato às próximas eleições presidenciais, em 2019.



Fonte : DW.de


Angola-Connection.net