Angola: mortes súbitas por envenenamento no MPLA
11 Julho 2018
      
Angola: mortes súbitas por envenenamento no MPLA

chipeAngola: mortes súbitas por envenenamento no MPLA

Por Prof. N’gola Kiluange

Washington DC –Seguro teve de escolher entre a Nação e o partido.Abandonou a Nação.Nunca terá o partido – João Ferreira do Amaral!

Convehamos que durante a nossa guerra fratricida… crimes de várias indoles foram cometidos por qualquer um dos seus envolventes – foi assim a sina de um conflicto armado com um cariz carregado de amarguras tenebrosas!

É tanta deslealdade moral e cívica reviver o passado com o intuito de aí tirar dividendos indignos, humilhar e desbaratar o pensar diferente… como forma de amaldiçoar as nossas constetações legítimas sobre os bens mal- adquiridos por Dos Santos e seus comparsas mais directos…

Acaso essa gente se dá conta que quanto mais tentarem deturpar a verdade mais rancor e mágoa inundam os corações e almas dos seus semelhantes?

Até o defunto é assim hoje diferenciado com o ser vivo como sarcasmo para nivelar o grau da nossa imbecilidade!!!

É engraçado vermos frequentemente comparadas as ações de Jonas Savimbi para se rosear o caráter distorcido de José Eduardo dos Santos…

E muito longe de apologismo unilateral ou pretensões partidárias… ninguém jamais ousou contestar as mortes súbitas por envenenamento encomendadas pela Casa Civil da Presidência da República dentro das próprias fileiras do MPLA.

Quantas figuras políticas influentes dentro do “partido dos camaradas” foram forçados a abandonarem suas próprias ambições para deixarem caminho livre ao Dos Santos?

Foi mera coincidência a morte de Daniel Chipenda rotulada por consumo excessivo de álcool ?

A morte de Pedro de Castro dos Santos Van- Dúnem “Loy” foi natural depois dos meninos do Futungo de Belas o terem acusado de “ambições presidenciais”​?

Carlos Rocha Dilolwa suscidou-se com as suas proprias mãos ou intenções?

Terá mesmo Paulino Pinto João falecido de doença … como realmente muita boca enganadora saltou perdigotos por Luanda afora?

Maria Mambo Café por fim virou as costas ao chefe do seu partido, não foi?…Preferiu dizer a verdade… e até já era previsível o seu destino final sem mesmo haver necessidade alguma de se exigir uma autópsia independente!..

A lista das vítimas silenciosas dos membros ex-poderosos do partido no poder é longa e contínua … e naturalmente que o seu presidente não está alheio ao destino dessas mesmas vítimas… Agora, o mais difícil será provar o seu envolvimento directo ou indirecto cometidos contra essas “almas ingénuas”…Como o também será quase impossível saber do paradeiro ou possível envolvimento de José Eduardo dos Santos no 27 de Maio de 1977!!!

Mas, o mais perigoso aqui é que mesmo sabendo ou suspeitando de assassinatos por envenenamento no seio do MPLA, muitos dos seus altos e baixos afiliados optam pelo sigilo como forma de conivência ou temor a estrutura hierárquica do partido.

E o agravante em tudo isso é que o comportamento desses afiliados igualam-se a uma grande parte da nossa sociedade civil. Daí a razão de muito de nós não sermos capazes de distinguir filiação partidária vs. direito moral e cívico…

Assim, muitos crimes em Angola são politicamente motivados pela hierárquia do partido reinante como maneira de aterrorizar a oposição e moldar um tipo de comportamento social – à laia da chefia do MPLA.

Prof. N’gola Kiluange

Prof.Kiluangenyc@yahoo.com


Angola-Connection.net