Comité de especialidade do MPLA são tribunais de perseguição
13 Julho 2018
      
COMITÉS DE ESPECIALIDADE DO MPLA SÃO TRIBUNAIS DE PERSEGUIÇÃO

... constituído especificamente pela injustiças, usando dos órgãos de soberania nacional, para que a perseguição implacável, que projecta tenha impacto nacional, contra os cidadãos angolanos e demais concidadãos do mundo, que plantam a virtudes e a moralidade: pela liberdade, justiça, paz e a pacificação social permanente, em Angola.

Enquanto existirem os Tribunais de Perseguição - condecorados com o nome de Comités de especialidade do MPLA, para disfarçarem o poder trágico das injustiças, cometidas por estes grupos assim denominados, em Angola nunca jamais haverá paz. Reinará sempre o fuzilamento da preservação da vida humana para apagar a idoneidade moral, a integridade e a competência, dos angolanos, em hasta pública, na calada da noite ou a luz do dia.

Sempre que o Tribunal de justiça absolver o inocente, em contra partida, o tribunal de perseguição – comité de especialidade dos Juízes do MPLA vai condenar o inocente, em liberdade aparente, numa prisão sem grades e sem algemas, a Pena de Morte. Vai, em perseguição impiedosa, Boicotando, toda prosperidade do inocente, advindo do usufruto dos Direitos da Justiça Social, fazendo valer a vingança a favor da desvalorização da vida humana e da humanidade em si.

Sempre que o empresário tentar se implantar para dar crescimento a sociedade. o tribunal de perseguição – Comité de especialidade dos empresários do MPLA - vai condenar o investidor com a pena sofrível de mil anos de concorrência desleal.

Sempre que os economistas nacionais organizarem o processo de produção para se alcançar a economia de escala, o Comité de especialidade dos economistas do MPLA vai exercitar a destinação pela qual foi criada. Desfalcar a economia nacional, com a economia subterrânea, fuga de capitais e de seguida, com a ditadura da maioria parlamentar, em espécie de corpo de jurado, o governo principal fonte de alimentação dos comités de especialidade em detrimento do Estado, vai aprovar a Lei de repatriamento de capitais para branquear capitais e com isso, subjugar a Segurança do Estado.

O regime realizou uma série de manobras hermeticamente fechadas, deixando os angolanos, totalmente no escuro, sem se aperceberem da verdadeira destinação criminosa e dos horrores cometidos pelos Comités de especialidade do MPLA – que não passam senão, de Tribunais de Perseguição –, contra todo um conjunto de cidadãos nacionais, bem formados, dentro e fora do país e intelectuais consequentes, com academias de excelência, consciencializados para realizar Angola, como uma nação consagrada dentro dos padrões de civilização humana, um compromisso sagrado dos nossos antepassados..

Durante cerca de 42 anos de Independência Nacional, o regime angolano engendrou uma série de desdobramentos de acções extra-judiciais, com os Comités de Especialidade, ou tribunais de perseguição, onde só existem, por consciência de desumanidade duas penas: para tudo que respira, a Pena de Morte e para infraestruturas sociais, a degradação para criar dependência.

– Lucas Chivukuvuku, actualmente é a última vitima do regime do MPLA: dedico essa reflexão a todas as vítimas do regime e todas as famílias enlutadas, ao longo do tempo que dura essa chacina, burocraticamente organizada pelo MPLA.




Por : Moisés Sotto Maior


Angola-Connection.net