Conclusões sobre as minhas reflexões 1 & 2
5 Outubro 2018
      
James Spencer
5 de Outubro às 06:06

CONCLUSÕES SOBRE AS MINHAS REFLEXÕES 1 e 2

Para ter a coragem de chamar os bois pelos nomes falar de intocáveis ou divindades sem ferir susceptibilidades é como tentar fazer omeletes sem partir os ovos. Nós somos passageiros numa viagem desde que nascemos sem sabermos quando ela termina, portanto enquanto ela decorre vamos tirando partido dela apreciando a paisagem.

O homem era feliz até ao dia que sentiu por medo a necessidade e criou deuses para o salvar. Apenas algumas pessoas infelizmente descobrirão que o tempo para serem felizes é curto e que cada momento ou oportunidade recusada para serem felizes se vai embora e não volta mais.

Não se hipoteque a nada nem ninguém vendendo a sua liberdade de pensar, não se importe com as opiniões de terceiros, antes parecer ser um idiota para o mundo do que infeliz para si mesmo vivendo espartilhado pela fé e dogma, pois quem controlar a sua mente controla a sua vida.

Cada escolha que fazemos é uma oportunidade ganha ou perdida, cada queda um aprendizado, cada atitude uma consequência. As religiões continuarão a atrair pessoas enquanto houver miséria, guerra, ignorância e medo porque elas dão algo que a ciência não dá, consolo, alento, ilusão de segurança e salvação após a morte.

Religiões são comédias em vários actos para os inteligentes, realidades dramáticas para os ignorantes as quais nada têm para me oferecer, elas não me trazem conforto, certeza, conhecimento ou ensinamento, apenas me dizem que tenho o “livre arbítrio” o qual me condiciona a escolher apenas entre duas opções, seguir a deus e ir para o céu ou desobedecer-lhe e ir para o inferno.

Quando me desvinculei da crença religiosa foi quando descobri que não precisava de ninguém para pensar por mim e que o conseguia bem melhor usar a razão dos meus bem oleados neurónios os quais, quando bem ou mal usados são a fonte da nossa felicidade ou tristeza.

Quando decidi assumir-me como adulto para exercer as minhas escolhas elas trouxeram-me a responsabilidade pelo atrevimento de começar solitariamente a desatar os nós complicados da vida por mim próprio sem a ajuda de terceiros que intercedessem por mim junto a divindades.

Quando tomei essa decisão deixei de ver o mundo a preto e branco, passando a vê-lo a cores, e não foi ele que mudou fui eu. As crenças religiosas são metidas dentro da cabeça das pessoas por homens treinados para o fazer e não por deuses.

Deuses não resolvem problemas não curam ninguém quando as pessoas adoecem, não põem o pão na mesa aos pobres, nem perguntam razão porque as pessoas choram. Neles não encontramos respostas mesmo que nos sujeitemos a orar 5 vezes ao dia, jejuar 30 dias por ano, não comer carne na Páscoa, e humilhar-nos a ficar de joelhos quando com ELE pensamos solitariamente estar a comunicar.

As religiões apenas nos roubam o direito a sermos felizes, é o esquema de pirâmide mais bem organizado do mundo onde os pais recrutam os seus próprios filhos castrando-lhes a liberdade de pensamento e escravizando-os a seguir doutrinas e dogmas desfasadas do tempo em que vivemos. Podemos fugir de tudo e todos, escolher viver isolados no topo de uma montanha como ermitas, mas nunca fugiremos de nós próprios.

Não precisamos da Bíblia livro para nos definir a forma comportamental, a nossa consciência é suficiente para nos criticar ou louvar pelo bem ou mal que fazemos, sem termos que nos justificar a padres para chegar a deuses.


A Bíblia depois de analisada há lupa por independentes especialistas em teologia concluíram de que esta possui 461 contradições internas, 428 pontos desmentidos pela ciência, 2186 afirmações absurdas, 1315 trechos onde deus é cruel e violento, 1542 passagens onde deus é injusto, portanto a fiabilidade deste livro é duvidosa.

Deuses ausentes, míticos e imaginários apenas residem dentro de mentes fracas e débeis que lhes oferecem o paraíso ou inferno depois de mortos. Esses dois lugares existem sim, mas dentro de nós e em vida e não depois dela quando apenas formos um saudoso retrato emoldurado na prateleira de uma estante na casa de um dos nossos familiares. Do céu só cai chuva, neve e granizo e do inferno só quando ardem florestas e casas com pessoas lá dentro.

Quando o poder eclesiástico controlou o mundo por 588 anos através da Inquisição criada no século XIII pelo Papa Gregório IX para combater heresias e ateísmo pela tortura, enforcamento, empalamento e queimar as pessoas vivas esqueceu-se de que essas pessoas que enterraram era sementes que de novo rebentaram e se multiplicaram até aos dias de hoje.

Nessa altura apareceu pela primeira vez no mundo uma pequena vela chamada ciência que começou a contradizer verdades bíblicas através de astrónomos, físicos e cientista. Sempre apregoei liberdade e independência de pensamento nunca pertença a nada nem a ninguém quando o “TODO” está disponível.

As pessoas sofrem de depressão por excesso do passado, de stress por excesso de presente e de ansiedade pelo excesso de futuro. O grande segredo da vida que eu poderia aconselhar a alguém é planear o nosso projecto existencial definindo o caminho que escolhemos para o percorrer com sucesso, se o queremos fazer a solo ou acompanhados e quando desejamos chegar ao paraíso da nossa escolha. Quando nós temos a certeza de que estamos a percorrer o caminho certo é quando não necessitamos mais de olhar para trás.


António José Canhoto.


Angola-Connection.net