A China-Sonangol e Sonangol-Sinopec International, foram constituídos com fundos da estatal Sonangol cujo facturamento actual, recai nas contas privadas dos seus constituintes
7 Outubro 2018
      
A China-Sonangol e Sonangol-Sinopec International, foram constituídos com fundos da estatal Sonangol cujo facturamento actual, recai nas contas privadas dos seus constituintes, a Sonangol não se beneficia de nenhum centavo dos actuais facturamentos das empresas associados.

A ChinaSonangol, foi a face pública de um gigantesco empreendimento privado criado com fundos de estado angolano. Registrada em Hong Kong como Fundo Internacional da China (FIC), ou CIF, na sigla inglesa, saiu da obscuridade para se tornar líder no mercado de construção e extração dos recursos minerais africanos, prometendo mais de 18 bilhões de dólares de investimentos em vários países do continente nos últimos dez anos e que nunca as cumpriu, tendo como cabeçarias, o empresário chines Sam Pa e barões angolanos do regime de JES, Manuel Vicente e Generais Dino e Kopelipa.

Em todas as sociedades democráticas, as pessoas agem segundo as leis e normas reconhecidas como legais do ponto de vista constitucional. Em angola, essas pessoas não reconhecem tais normas e desrespeitam as leis e normas estabelecidos para obter benefício pessoal e familiar, são considerados como criminosos, eles ao invés de assassinatos, roubos e furtos, utilizam posições de poder estabelecida no jogo político normal da sociedade para realizar actos ilegais contra a sociedade que dizem servir e tráfico de influência.

A corrupção em angola, ocorreu não só através de crimes subsidiários como de suborno (para o acesso ilegal ao dinheiro de estado, de empréstimos e de ajuda externa, dinheiro cobrado em impostos, taxas e tributos) e do nepotismo (como a nomeação de parentes e amigos aos cargos de administração pública).

Com o mesmo esquema, se criou uma das várias empresas para lavagem de dinheiro público, como a NAZAKI OIL & GAZ, S.A. propriedade de MANUEL DOMINGOS VICENTE, Ex-Presidente do Conselho de Administração e Director-Geral da Sonangol E.P.; GENERAL HÉLDER MANUEL VIEIRA DIAS JÚNIOR “Kopelipa”, Ex-Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar do Presidente da República e GENERAL LEOPOLDINO FRAGOSO DO NASCIMENTO DINO, Ex-Consultor do Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar do Presidente da República; cuja sede se localiza em Two Post Oak Central 1980 Post Oak Boulevard, Suíte 1200, Houston, Texas, Estados Unidos da América e escritório de representação em Angola, Luanda, à Rua 10 de Dezembro, Edifício da China International Fund (CIF), 17º andar.

Esta mesma empresa, em Setembro de 2007, recebeu mais de 2,8 bilhões de dólares por parte da Sinopec International, uma petroleira estatal chinês e seus associados, para a concessão de mais campos para a exploração de petróleo e outros recursos minerais em alguns países africanos, como em Angola, República da Guiné, em Madagáscar, no Zimbábue, Congo Democrático e os mesmos fundos, serviram para afastar da cena politica, o general presidente Lansana Conté, da Guiné Conacri, que originou prejuízos enormes aos chineses, atitude esse que levou os mesmos a financiar o golpe de Estado liderado pelo capitão do Exército Moussa Dadis Camara e o financiamento em Março de 2009, o golpe de estado em Madagáscar. E mais de USD 2,2 bilhões de dólares por parte da ChinaSonangol, comprando os direitos de exploração de oito campos em Angola, dinheiro este que saiu ilicitamente nos cofres da estatal Sonangol e desviado para fins privados.

Em 2009, foram efetuados algumas transferências de interesse dos sócios maioritários angolanos da Nazaki Oil & Gaz no valor de USD 1,3 bilhões para HSBC Holding Pc em Hong Kong e mais de USD 876,9 milhões para a Deutsche Bank em Frankfurt, Alemanha. E em 2010, a Nazaki Oil & Gaz, S.A. assinou muitos Acordos de Risco (Risk Services Agreements), para as operações de exploração de Petróleo e Recursos Minerais em 7 países africanos.

FONTE: Revista Businessweek


Angola-Connection.net